domingo, setembro 14, 2008

O Exército Dourado

by.Queiroz
Bem, meus planos para esse final de semana era assistir “Ensaio sobre a cegueira”, mas já que não deu, então, fica aqui minhas impressões sobre o filme do Garoto Pimentão. Hellboy é na verdade Anung un Rama, tão somente a besta do apocalipse, filho do Caído, mas por ter sido foi criado por Trevor “Broom” Brutenholm (John Hurt), um bom homem e católico, acabou se tornando o grandão de bom coração que é. Apaixonado pela esquentadinha Liz Sherman (Selma Blair) e acompanhado do sempre sóbrio Abe Sapien (Doug Jones), Hellboy trabalha junto com os dois para a B.P.R.D. que é uma firma especializada em resolver problemas paranormais, ou seja, se surgir algum monstro estranho na sua vizinhança chame eles. Brincadeira, eles são mais um órgão “secreto”, muito embora a indiscrição de Hellboy torne isso impossível. A presença do Garoto Pimentão, é tão sabida, que no filme anterior ele mesmo criticava a forma como desenhavam seus olhos nas revistas em quadrinhos. “E o filme?” Bem, o que me surpreendeu no filme foi esse fator de trabalhar bem encima do fato que não importa sua aparência ou sua origem, os seus sentimentos serão os mesmos de qualquer pessoa. Isso é muito bem ilustrado no filme com o affair entre a Princesa Nuala (Anna Walton) e Abe Sapien (Doug Jones). A cena em que a Princesa tão dotada de dons telepáticos quanto Abe toca a sua mão para saber o que ele sente em relação a ela é simplesmente maravilhoso. “Mas, espera aí? Não é um filme de ação?” Ah, é sim meus caros, mas quem trata do fator ação de forma mais contundente é o vilão Príncipe Nuada (Luke Goss), um exímio espadachim que pretende retomar o controle do Exército Dourado, grupo formado por robôs metálicos invencíveis, que são controlados por uma coroa que só pode ser usada por descendentes de uma realeza. Falando do Príncipe, não é difícil traçar paralelos com o Magneto de X-men, pois resguarda o discurso de somos freaks, mas somos melhores que esses tais de humanos aí, então vamos acabar com eles. No trailer o Nuada parecia assustador, pois achei que ele tivesse uma origem semelhante ao Hellboy, mas na verdade, o povo dele é de uns tais seres místicos da floresta, sabe. Tirou todo o medo apesar da feiúra, mas isso não diminui em nada o impacto das cenas de ação realizadas por ele. Eu vou usar aqui algo que disseram sobre os filmes do Homem Aranha, que eu até discordo, mas acho que cai bem para O Exército Dourado como uma luva: É um filme prá criança, mas é sensacional.

5 Comments:

Blogger Rodrigo said...

Não sei se chega a ser um "filme para criança". Mas certamente não tem o peso dramático de outros filmes de heróis como "Batman - O Cavaleiro das Trevas". Mesmo assim, achei divertido e muito bem produzido. As maquiagens são excelentes. E as piadinhas do Hellboy sempre bem proferidos pelo Ron Perlman.

4:59 PM  
Anonymous QUEIROZ said...

Acho que o lado criança do filme fica a cargo do próprio começo com os bonecos de madeira representando as batalhas e o próprio Hellboy moleque escutando aquelas estórias do "pai". E acho que o lado da fantasia, de criaturas fantásticas, junto com a crença no bem, acho que por aí. O primeiro acho que não pode ser considerado um filme infantil, pois foca mais na origem sinistra do Hellboy, ainda tem aquela malandragem de mostrar o pq acender um charuto com um fósforo é mais prazeiroso que com um isqueiro. E outra parada é que os monstros que deveriam ser bizarros e ameaçadores acabam sendo como diriam as garotas "fofos" sabe. E acho que a mãe do Constantine lia Hellboy para ele conseguir dormir.

11:00 PM  
Blogger Zaboobs e Saulicios said...

HellBoy 2, poderia ter sido bem melhor mas acredito que vc tem razão quando comenta que o filme foi feito voltado para um público mais infantil e talvez por isso que como para eles o roteiro não importe muito o filme tenha este defeito de ser previsível. Não digo que o filme é ruim mas somente que ele poderia ter sido bem melhor se logo nos primeiros 5 minutos o final não ficasse tão evidente.

Att
Zaboobs

4:44 PM  
Anonymous QUEIROZ -São Gonçalo-RJ said...

Exatamente. Mas, talvés essa seja também a qualidade do Hellboy, ser despretensioso. Acho que a mãe do Constantine lia Hellboy para ele conseguir dormir.

11:54 PM  
Blogger Zaboobs e Saulicios said...

Bem, ele foi bem despretensioso e talvez seja esse mesmo o objetivo, fazer um filme com uma fórmula que não tem perigo. Como no mundo da música a quando Britney faz uma música. Todo mundo sabe que naum vai dar prejuízo. Talvez Hellboy 2, ficou na defensiva e não arriscou. Não foi ousado como Dark Knight e ficou mais com a Bilheteria garantida de adolescentes.

Att
Zaboobs

1:48 PM  

Postar um comentário

<< Home