domingo, fevereiro 08, 2009

O leitor

by.Queiroz




O leitor é um filme de amor ou filme político? Depende de quem assistiu. Os que se identificaram com o garoto do primeiro ato que se relaciona com a mulher mais velha ou os que dão mais importância ao julgamento ocorrido no segundo ato. Sinceramente não sei. Teve um crítico do Jornal O Globo que estragou o filme para mim, por contar um detalhe importantíssimo da trama. Eu concordo com você que o público sozinho poderia chegar àquela conclusão sem a necessidade de flashbacks, mas com pessoas como você literalmente contando, fica mais difícil considerar o filme relevante, você não acha?! Bem, voltando, sobre o 1.° ato, dá para perceber bem que Hanna tem olhar distante, tem a situação sob controle, nunca diz “Eu te amo” e sempre deixa visível a possibilidade de terminar aquilo na hora que ela quiser. Por outro lado Michael com pouco tempo de relacionamento, já acha que eles viverão a vida inteira juntos, sem mal se conhecerem profundamente. Há uma cena em que Hanna (Kate Winslet) e Michael (David Kross) comem em determinado restaurante com mesas ao ar livre e a garçonete chega para o Michael e diz: “Espero que sua mãe tenha gostado”, e ele não nega, mas quando ele volta a ficar ao lado de Hanna faz questão de beijá-la na boca para demonstrar que é sua. Quando chegamos ao segundo ato quando descobrimos onde a guardinha de trem foi trabalhar depois de ser promovida, e isso praticamente causar a separação do casal, mesmo que na absoluta ignorância de Michael, este então estudante de direito separado a um bom tempo, vê sua amada sentada no banco dos réus nos Julgamentos em Nuremberg. O terceiro ato, foi o que pegou para o filme. Ralph Fiennes fazendo o papel do Michael mais velho, aquilo ali não dava para engolir de forma alguma. Thomas Kretschmann seria uma melhor escolha para o papel. Para quem não lembra, ele é o Oficial Wilm Hosenfeld que ajuda o Pianista interpretado por Andrien Brody no filme de Roman Polanski. O Lorde Voldermort não convenceu, ainda mais quando vemos Hanna (Kate Winslet) de cabelos brancos na sua frente. Aquilo ali... A estória é muito boa, mas uma pena que a Hanna não seja a protagonista, daria espaço para discussões até mais profundas sobre o filme, no que diz respeito ao seu aspecto político.



4 Comments:

Anonymous QUEIROZ said...

Eu esqueci de dizer no texto que a Kate Winslet parece nua :P

8:31 PM  
Anonymous QUEIROZ said...

Mas, se você for ao cinema só por esse motivo, bem acho melhor alugar Nome Próprio, pois a Leandra Leal aparece nua em tempo integral. "De Kate Winslet para Leandra Leal?" Ué, valorize as atrizes brasileiras. :P

8:37 PM  
OpenID luzdeluma said...

A Leandra é bonitinha...rs.

Queiroz, ontem li uma cronica da Martha Medeiros falando sobre os alimentos da alma. Cinema cumpre o seu papel e eu ando um pouco distante da telona. Vê que ultimamente tem postado, falado sobre os filmes e eu só na vontade. Mas espero corrigir isso logo!! Beijus

1:20 PM  
Anonymous Rodrigo said...

Gostei da atuação do Ralph Fiennes. Nos últimos três filmes que vi, o cara está excelente (como de praxe). Mas claro que o filme é da Kate Winslet. Será que ela vai levar pra casa finalmente a primeira estatueta?

4:46 PM  

Postar um comentário

<< Home